sábado, 11 de fevereiro de 2012

" A promulgação desta Lei trará enormes prejuizos às pessoas cegas", sobre a Lei que classifica como deficientes visuais pessoas com visão monocular

Não posso condenar diretamente o Governador Beto Richa com a promulgação da Lei Estadual nº 16.945/2011, que classifica a visão monocular como deficiência visual em todo o Paraná, talvez ele esteja mesmo bem intencionado com o gesto. No entanto, posso e devo condenar a assessoria do Governador que não lhe orientou corretamente, já que antes da promulgação da Lei deveria ter enviado a matéria ao Conselho Estadual dos Direitos das Pessoas com Deficiência - COEDE, para discussão e parecer sobre o assunto.
Ao não orientar corretamente o Governador, sua assessoria induz o mandatário maior do Estado em dois erros políticos com consequências na avaliação pública do governo:

a) Ao deixar de ouvir o COEDE, não reconhece a legitimidade política e legal desta instância, criada justamente com o objetivo de discutir assuntos relacionados com os interesses das pessoas com deficiência.

b) Ao contentar algumas pessoas com visão monocular, descontentou e prejudicou diretamente todas as pessoas cegas do Estado do Paraná.
  
Diante da gravidade desta decisão, na condição de conselheiro representando a área visual no COEDE, pedi para pautar o assunto na próxima reunião do colegiado, cuja data esta prevista para o dia 10 de fevereiro.
  
Na ocasião, pretendo convencer os conselheiros (as) de que a promulgação desta Lei trará enormes prejuizos às pessoas cegas, principalmente daquelas que estão buscando ingressar no mercado de trabalho e no  serviço público através de concursos.
  
Professor Enio Rodrigues da rosa.
Diretor Administrativo do IPC.

Nenhum comentário: