terça-feira, 18 de outubro de 2011

Respeitável Público: O dia que o IPC foi ao Circo.

No último dia 02 de outubro um grupo de residentes do IPC foi ao circo. Acompanhados pela assistente social Joseane Duarte,  Ana Malinowski (voluntária) e pelo motorista Ademilson da Silva Lopes doze residentes com deficiência visual fizeram um passeio ao Circo Stancovich.
Muitos de vocês, podem questionar: o que um grupo de cegos foi fazer em um circo?
E eu respondo: usar a imaginação, uma das mais fantásticas potencialidades do ser humano.
E para imaginar não precisamos possuir parruda inteligência, ou algum predicado especial, para imaginar, precisamos apenas dar asas à essa capacidade inerente a todos os seres humanos.
A ressocialização e a integração da pessoa com deficiência é muito importante e se faz necessária, para que estes não sintam-se alijados das atividades e programações do nosso cotidiano, e que compreendam e sintam-se sujeitos de sua história. Depois a alma enxerga muito além do que os olhos físicos vêem, são os olhos da alma que percebem oportunidades, são os olhos da alma que conseguem brotar de esperança, são os olhos da alma que presenteiam a humanidade com descobertas desse quilate. São os olhos da alma que imaginam!
Nesta atividade o grupo já demonstrou interesse em querer participar , quando decidiram ir ao maior espetáculo da terra: O CIRCO! Depois no desenrolar do processo, os preparativos . A escolha das roupas. Escolheram vestir suas melhores roupas, as domingueiras como costumavamos chamar.
O que viram no circo? Cada participante criou na sua memória, o seu próprio mundo de imaginação, demonstrando apreciar o momento especial e singular que se desenrolava naquele picadeiro. Utilizaram ainda das lembranças de suas memórias, relembrando todo o ritual de celebração e pompa de um circo, passo a passo de cada número que estava sendo apresentado, descrevendo com detalhes de riquezas todo o desenrolar das apresentações, da forma como relembravam e se emocionaram com isso.
Foram participes deste processo em conjunto com toda a platéia e com artistas do circo. Todos deram ótimas gargalhadas, bateram palmas conforme o ritmo que cada apresentação solicitava, e tiveram até direito de apreciar uma boa pipoca, porque afinal circo combina com pipoca!!!
E para quem pensa que é necessáriamente importante apreciar a apresentação com toda a polpa que o circo apresenta aos olhos engana-se, porque a palavra emoção falou mais forte e todo o entusiasmo que o grupo apresentava contagiou até quem estava próximo. Todos tiveram a oportunidade de participar, se integrar e ressocializar.

Nenhum comentário: