quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Jovens angolanos deixam o IPC e vão construir vida própria

No último final de semana, depois de quase 10 anos vivendo como internos no IPC, os onze jovens angolanos deixaram as dependências da instituição e foram constituir vida própria.

A nova moradia foi alugada pelo Consulado de Angola que também assumiu a responsabilidade civil pelo grupo. A mudança era um desejo dos próprios jovens que assumiram o desafio de mostrar para a sociedade que a cegueira não é impeditivo quando as pessoas cegas querem tomar as rédias do seu destino nas suas próprias mãos.

O IPC apoiou integralmente a decisão e continuará apoiando e colaborando com aquilo que for possível nesta nova empreitada da vida de cada um deles. Vale ressaltar que isso só foi possível a partir de uma conjugação de esforços envolvendo os próprios jovens, o IPC, o Consulado de Angola, o Ministério Público do Estado do Paraná e o grupo de voluntários que sempre estiveram ao lado dessas pessoas.

Na opinião do Diretor Executivo do IPC, o Professor Enio Rodrigues, a saída dos jovens é um marco importante na vida das pessoas cegas e da própria instituição que está passando por um processo de reestruturação, com a redefinição dos seus conceitos, valores, projetos, programas, serviços e ações. Ele conclui afirmando que logo a sociedade curitibana e paranaense ficará sabendo com maiores detalhes a proposta do Novo IPC que está sendo construida com a assessoria técnica da RUMMOS Consultoria. Aguardem!

Nenhum comentário: