segunda-feira, 11 de julho de 2011

Reativação da União Paranaense de Cegos - UPC

No último dia 30 de junho, um grupo de pessoas cegas e de baixa visão, representantes de alguns municípios do Estado do Paraná, reunidas no Instituto Paranaense de Cegos (IPC), decidiram reativar as atividades da União Paranaense de Cegos (UPC). A UPC foi fundada em 1999, na capital do estado, após um amplo processo de discussão que ocorreu em diversas regiões do Paraná. As atividades regionais foram convocadas e realizadas por uma comissão, retirada no início de 1996, durante um curso de formação para dirigentes de entidades de cegos, promovido pela Secretaria de Estado e Assuntos da Família.
Na ocasião, a UPC conseguiu combinar o seu processo de estruturação com a realização de algumas atividades políticas representativas. Porém, depois de quatro anos de atividades, por uma série de fatores, a entidade acabou desarticulada.
De acordo com o atual estatuto da UPC, o seu principal objetivo é congregar, articular, coordenar e representar junto às autoridades, as reivindicações e propostas que contemplem as diversas necessidades das pessoas cegas e de baixa visão do Estado.
Nesse sentido, a UPC é uma entidade de defesa de direitos e não uma instituição prestadora de serviços. A diferença fundamental entre esses dois modelos de associações, além do fato de uma ser prestadora de serviços e a outra de defesa de direitos, é que a entidade de defesa de direito é fundada e dirigida por pessoas cegas e de baixa visão.
Para coordenar os trabalhos de retomada da UPC, as pessoas partticipanes do encontro realizado pelo IPC, no último dia 30 junho, elegeram uma comissão provisória constituida por quatro pessoas cegas, sendo duas de Curitiba, uma da região Norte e outra da região Oeste do Estado. Essa Comissão terá seis meses para convocar um assembleia estadual com três pontos de pauta:
1 - propor e aprovar reformas no atual estatuto da UPC;
2 - eleger a nova diretoria da UPC; e
3 - discutir e deliberar as diretrizes de atuação da entidade.

Nenhum comentário: